Mulher é presa por mandar matar próprio irmão, em Campinorte

51
Valcione Alves Dos Santos, vítima do homicídio

A Polícia Civil de Campinorte, região norte de Goiás, concluiu o inquérito policial das investigações do assassinato do motorista Valcione Alves Dos Santos, de 45 anos, ocorrido em 22 de dezembro de 2017, naquele município. Os autores, dois presos no dia 11 de janeiro, e um foragido, irão responder pelo crime de homicídio qualificado. A mandante do crime foi a própria irmã da vítima, que confessou a autoria.

De acordo com as investigações, Valcione foi morto na madrugada e seu corpo encontrado na manhã do dia seguinte. O homem, que morava sozinho numa casa na saída da cidade, apresentava lesões na região da cabeça produzidas por objeto contundente. O delegado Natalício Cardoso da Silva destacou a complexidade da investigação, diante das circunstâncias que envolveu o homicídio. “O crime ocorreu por volta das 2h, num local mais afastado, sem qualquer testemunha”, explicou.

Segundo Cardoso, os primeiros indícios já apontavam para a participação de algum familiar, uma vez que a vítima tinha comportamento tranquilo, não possuía inimizades e não teve nenhum objeto subtraído na ocasião. Inicialmente, a polícia chegou aos nomes de Héber da Silva Gonçalves, conhecido como “Goiano”, que chegou a ser candidato a vereador na cidade, e Webley Gonçalves Borges, vulgo “Mutum”. ambos sem passagem anterior pela polícia.

De posse do mandado de prisão preventiva, a Polícia Civil prendeu Héber, que acabou confessando o assassinato, apontando como mandante Leiguimar Alves dos Santos, irmã da vítima. Para cometer o homicídio, ele teve a ajuda de Webley, que encontra-se foragido. Leiguimar, que esteve presente no velório do irmão e chorou muito durante a cerimônia, foi presa na sequência.

Em depoimento, Héber contou que recebeu R$ 5 mil para cometer o crime. “Ela pagou R$ 3 mil antes e ficou cobrando a execução do crime. Aí ele foi lá e fez com a ajuda do Webley, que recebeu dele R$ 500 pelo serviço. Depois de cometer o homicídio, o Goiano ligou avisando que tinha feito e marcou um encontro para receber os R$ 2 mil que faltavam”, contou o delegado. Presa, Leiguimar disse que mandou matar Valcione porque estaria cansada da perseguição do irmão.