Polícia Civil indicia doze pessoas por fraude em licitação e peculato

70
Delegado Humberto Teófilo.

A Polícia Civil de Inhumas concluiu na tarde desta segunda-feira (05/02) um inquérito policial, presidido pelo delegado Humberto Teófilo, com o indiciamento de doze pessoas pelos crimes de dispensa ilegal e fraude em licitação, além de peculato.

De acordo com as investigações, no início de 2017, na Câmara Municipal de Inhumas, o empresário Celso Duarte de Paula, proprietário de um posto de combustível, foi beneficiado de forma ilegal de uma dispensa de licitação. Posteriormente, o mesmo empresário foi beneficiado em uma licitação supostamente fraudada no valor de mais de R$ 26 mil.

Teófilo afirmou que as provas demonstram que o grupo criminoso integrado por alguns servidores da Câmara Municipal provocou um desvio de mais de R$ 12 mil em combustível durante os meses de janeiro a setembro de 2016, o que representa aproximadamente 3,2 mil litros de gasolina. “Só nos recessos parlamentares a Câmara gastou aproximadamente R$ 2,2 mil no mês de janeiro e R$ 2,7 mil no mês de julho, sendo que a frota oficial da cada legislativa e composta apenas por duas motos e um carro”, afirmou o delegado.

Foram indiciados: Gleiton Luiz Roque (vereador e, à epoca, Presidente da Câmara Municipal), Leandro Vieira Essado (vereador), Hugo Mendanha (assessor jurídico), Wender Aparecido Chaves Osório (advogado contratado), Larissa Pacheco Camilo (diretora geral), Ivolines de Jesus Oliveira (diretor contábil), Luiz Henrique Canedo Vila Verde (contador contratado da Câmara), José Carlos Moreira (contador do posto) , Celso Duarte de Paula (dono do posto) Rodolfo de Moraes Duarte Neto, Beigson Pereira Rodrigues e Murilo Brandão Calil, os últimos membros da Comissão de Licitação.