Polícia Civil única e de todos

501
Adriana Sauthier Accorsi

Polícia Civil única e de todos

Ernesto Guevara de La Sierna, o Chê, ainda jovem, empreendeu uma viagem que partiu de Buenos Aires à Cidade do México, portanto transpassou toda a América Latina, dando-lhe ao final uma visão global das potencialidades e agruras do povo latino-americano. Em um livro, que relatou tal viagem, destacou sobremaneira um discurso feito num leprosário no Peru enquanto comemorava seu aniversário, dizia: “Somos muito poucos para nos dividirmos, tudo nos une, nada nos separa.”

Comentava sobre diferenças artificiais entre os países sulamericanos, e quão importante para ele era a união de nossos povos por um propósito único e humano.

Após um ano liderando esta surpreendente instituição que é a Polícia Civil goiana, enxergo, de forma cristalina, como aquela mensagem universal se aplica à nossa casa. Agentes, Escrivães e Delegados são partes inseparáveis de um ente que luta por Justiça e bem comum. Portanto, as vitórias de uns devem emocionar os outros, assim como as dores de muitos devem doer a todos nós, não como martírio, mas como forma de mobilizar toda nossa classe por melhorias gerais, irrestritas, abrangentes, de condições de trabalho, de relações interpessoais e profissionais, de progressão funcional e salarial. Nenhum de nós deve se sentir desprestigiado, sob pena de, como corpo único, sucumbirmos.

Adriana Accors, ao centro, ladeada por representantes classistas dos Policiais Civis,  pelo Superintendente da Polícia Judiciária, Carlos Roberto Teixeira, e pelo Assessor Especial, Elton Magalhães

Neste espírito passei todo este ano tentando dar unicidade à nossa Polícia Civil, lutando por melhorias para todos, algumas atingidas, outras a atingir, devemos nos jubilar com as conquistas efetivadas e continuar, no próximo ano, a luta geral pelos avanços que ainda terão de vir, tais como piso salarial da Polícia Civil condizente com a importância de nossos profissionais e progressão contínua e meritória na carreira.

Ao final, dizia ainda Guevara: “Acima de tudo procurem sentir no mais profundo de vocês qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. É a mais bela qualidade de um revolucionário. Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.”

Nós, Policiais Civis, nos indignamos e vamos além, agimos, isso nos une. Nada nos separa.

 

Adriana Sauthier Accorsi é Delegada Geral da Policia Civil de Goiás

 

Artigo publicado na edição de hoje, sexta-feira,  28.12.12, do jornal Diário da Manhã. O mesmo artigo será destaque também  na 3ª edição da Revista Polícia Civil em Foco que circulará na próxima semana