Bebê subtraído de maternidade há um ano recebe visita da Polícia Civil; donativos foram entregues à família

185

No último dia 31 de maio, completou-se 1 ano que os policiais civis da 22ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Goiânia solucionaram, em menos de 6 horas, o caso de um bebê levado da maternidade. O delegado distrital, Wellington Ferreira Lemos, esteve na casa dos pais da criança, na semana passada, e levou donativos. A família tem enfrentado dificuldades em razão da pandemia do novo coronavírus. A criança está bem de saúde e em pleno desenvolvimento. O menino mora com os pais biológicos, que conseguiram restabelecer a guarda quatro meses após o crime.

O crime ocorrido, em maio do ano passado, teve bastante repercussão. Na época, a investigação concluiu que o bebê foi levado da UTI neonatal por uma funcionária da maternidade. A técnica de enfermagem alegou aos colegas de plantão que colocaria a criança para arrotar e a levou. A polícia apurou que o cabo da câmera de segurança do hospital foi cortado e, por isso, não registrou a ação da funcionária. Restou comprovado, ainda, que a mulher colocou a criança no baú de uma motocicleta e dirigiu mais de 30 quilômetros até a casa da tia, em Aparecida de Goiânia. De lá, o bebê foi levado para a casa de sua prima, onde foi encontrado. Os envolvidos foram indiciados por subtração de menor.