Grupo suspeito de extorsão a vítimas de serviços sexuais é preso pela 1ª DDP de Goiânia

585
Yago Pereira da Silva – “Anita“

A Polícia Civil de Goiás, por meio do 1ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Goiânia, cumpriu, no dia 14 de agosto último, no Compelxo Prisional da Papuda, no Distrito Federal, mandados de prisão preventiva em desfavor de Yago Pereira, vulgo “Anita”; Eduardo Souza Luz, vulgo “Stephany”; Samuel Junio Nápole e Marcelo Dias Moreira, em razão de integrarem uma associação voltada à prática de extorsões com restrição de liberdade das vítimas que contratavam serviços sexuais em sites específicos.

Marcelo Dias Moreira

Mandado em desfavor de um outro integrante do grupo, Paulo Rogério Marques Vasconcelos, será cumprido assim que o investigado chegar ao Brasil, já que ele foi preso na Espanha, após ser incluído na lista de foragidos da Interpol.

As investigações apontam que, na ocasião dos crimes, a vítima se interessava por um dos autores e era atraída até um hotel. No local, um dos autores fazia check-in regularmente, enquanto outros adentravam ao quarto de forma clandestina. Já no aposento, o grupo chantageava a vítima com filmagens da relação sexual ou extorquia mediante grave ameaça ou violência.

As prisões

A 1ª DDP de Goiânia conduz dois casos que envolvem a participação dos suspeitos e, por isso, o delegado responsável pela investigação, Paulo Ribeiro, representou pela prisão dos investigados. Paralelamente, no entanto, a Polícia Civil do Distrito Federal fazia operação com o objetivo de prender a mesma quadrilha, que também agia naquela unidade federativa, a qual resultou na prisão de três dos investigados, na capital goiana.

Eduardo Souza Luz – “Stephany”

Como os pedidos de prisão em Goiás demoraram mais para serem deferidos pelo Poder Judiciário, a Polícia Civil de Goiás cumpriu os quatro mandados já com os investigados presos, no Complexo Penitenciário de Papuda, em Brasília. Samuel, por exemplo, foi preso no Chile e recambiado para o Distrito Federal.

Os dois casos de conhecimento da 1ª DDP, objetos dos mandados originados em Goiás, ocorreram em um mesmo hotel, no Centro de Goiânia, cujos proprietários colaboraram com as investigações. Nas duas oportunidades, “Anita”, Stephany e Samuel agiram em coluio, agredindo e obrigando as vítimas a desbloquearem os aparelhos telefônicos, fazendo transferências bancárias que somaram mais de R$ 20 mil. Marcelo Dias participou de uma das ações, enquanto Paulo Rogério agiu em um segundo crime.