Operação prende suspeitos de aplicar golpes por meio de falsos consórcios e financiamentos

399

Investigadores do 7º DP e 23º DP de Goiânia, com apoio de diversas equipes da 1ª e 3ª Delegacias Regionais, deram cumprimento, no dia 23 de agosto, a 6 mandados prisão preventiva e 7 de busca e apreensão, nas cidades de Goiânia/GO e Anápolis/GO, expedidos em virtude do cometimento de crimes de associação criminosa e estelionatos, por meio de falsos financiamentos e consórcios. Há indícios da prática de pirâmide financeira.

A apuração se iniciou há quase seis meses, sendo constatado que os criminosos criavam falsas empresas (financeiras), aliciando potenciais interessados (vítimas), por meio de propagandas em redes sociais, solicitando a transferência de quantias às vítimas, sob o pretexto de liberação do capital para aquisição do bem desejado. Contudo, após o repasse dos valores, os prejudicados eram informados sobre o fechamento das empresas, permanecendo com o prejuízo.

Segundo o delegado Guilherme Conde, os criminosos rapidamente “abriam” novas financeiras, em outros endereços, persistindo na prática dos golpes. Durante a investigação, restou demonstrado que os investigados realizavam confraternizações regadas a bebidas alcoólicas e energéticos para celebrar a quebra de recordes. Uma, em especial chamou a atenção, justamente para festejar a captação de R$ 2 milhões entre os clientes.

A partir do cumprimento dos mandados, foram apreendidos 3 veículos de luxo, os quais foram adquiridos com o proveito dos crimes, além de máquinas de cartão e uma vasta gama de documentos. As empresas investigadas possuem ramificação em outras unidades da Federação, gerando suspeitas da existência de uma pirâmide financeira. Estima-se um número superior a uma centena de vítimas.