Cibernéticos prende casal suspeito de operar “fábrica” de falsificação de documentos em Aparecida

187

Na manhã desta quarta-feira (16), a Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), empreendeu diligências, em apoio à Operação Ostentação, realizada pela Polícia Civil do Maranhão, em um endereço localizado no Jardim Mont Serrat, Aparecida de Goiânia, para cumprimento de mandado de prisão temporária expedido pela Justiça do Maranhão.
Ao chegar no local onde residia o investigado, parte da equipe da DERCC foi recebida por um homem que, em clara atitude suspeita, disse que não conhecia a pessoa citada na ordem judicial de prisão. Porém, imediatamente os policiais civis verificaram que este homem era o mesmo da fotografia que constava na identificação do investigado a ser preso.

Concomitante a isso, outra parte da equipe DERCC notou que, após se fazer anunciar naquela casa, uma mulher havia pulado o muro dos fundos e empreendido fuga, sendo alcançada pelos policiais a cerca de quatro quarteirões dali. Já na abordagem policial, foi constatado que o morador daquela residência se apresentou com nome diverso do constante no mandado de prisão temporária e, na casa dele, foi encontrado um amplo aparato para falsificação de documentos públicos (sobretudo documentos de identificação pessoal – RGs). O homem tem 46 anos e a mulher, 26. Ambos são naturais de Imperatriz (MA).

A Polícia Civil de Goiás apreendeu mais de 60 carteiras de identidades falsificadas, nas quais várias se repetem em relação a fotografias utilizadas, enquanto apresentam qualificações diversas. Também foram apreendidos 10 cartões bancários, em nomes de diversas pessoas, que certamente foram utilizados para recebimento de valores obtidos com golpes; 09 aparelhos celulares; 02 notebooks; 03 impressoras de alta qualidade; 01 máquina para plastificar os documentos falsificados e 01 máquina para recortar tais documentos falsificados. A equipe da DERCC apreendeu ainda 126 fotografias (3×4) de pessoas diversas, sendo que muitas delas são idênticas a algumas usadas em vários documentos falsificados apreendidos.

Dentre as apreensões na residência dos autuados, ainda havia um carimbo que chamou muita atenção dos policiais, pois se trata de falsa identificação (com falsa assinatura já lançada no carimbo), em nome de respeitado Delegado de Polícia do Estado do Maranhão, objeto este que certamente era utilizado na confecção dos documentos de identificação falsificados.

Conforme declarações da própria presa em flagrante, ela teria chegado do Estado do Maranhão, no último dia 09 de dezembro, para trabalhar com tal homem, também autuado em flagrante.

Questionada qual o trabalho que eles desenvolviam, a mulher disse que seria a falsificação de documentos no nome dela, para que eles conseguissem abrir contas bancárias e realizar empréstimos em várias instituições financeiras. Afirmou ainda que receberia R$1 mil por cada oportunidade que ela se passasse por outra mulher apresentando os documentos falsos.
Os dois presos foram autuados em flagrante delito pelo crime de falsificação de documentos públicos, cuja pena é de até 06 anos de reclusão.

A Operação Ostentação, realizada e coordenada pela Polícia Civil do Estado do Maranhão, visa combater uma quadrilha de Hackers que causou um prejuízo a uma instituição financeira digital no valor aproximado de R$ 13 milhões. Trabalharam nesta operação em torno de 280 policiais civis do Estado do Maranhão, cumprindo vários mandados de buscas e de prisões, nos municípios de Imperatriz/MA, São Luís/MA, Governador Nunes Freire/MA, Açailândia/MA, Carolina/MA, São João do Paraíso/MA, Cidelândia/MA, Davinópolis/MA, Paço do Lumiar/MA, São José de Ribamar/MA, João Lisboa/MA. A Operação Ostentação conta com o apoio da Polícia Civil do Estado do Goiás (DERCC/PCGO) e também da Policia Civil do Estado do Estado de Tocantins (PCTO).