Deic prende em flagrante quatro suspeitos de fraude bancária

487

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC) prendeu em flagrante, no último dia 06/05/2020, quatro pessoas pela prática dos crimes, em tese, de estelionato e associação criminosa.

As investigações tiveram início a partir do registro da ocorrência de uma pessoa que denunciou que seus dados haviam sido utilizados para abrir uma conta bancária virtual em uma instituição financeira e contrair um empréstimo de R$ 4 mil em outra.

O golpe funcionava da seguinte forma: inicialmente era realizada a abertura de uma conta digital em nome da vítima, na sequência era contatada alguma instituição financeira diferente que trabalha com empréstimos, onde, em nome da mesma vítima, era contratado um crédito no valor de até R$ 5 mil. Ato contínuo, o valor do empréstimo era transferido para a conta digital aberta e, com o saldo creditado, eram realizadas outras transações, como TEDs e pagamentos de boletos bancários em favor de laranjas, visando pulverizar todo o valor do empréstimo que, obviamente, jamais seria pago. Estima-se que o golpe rendia cerca de R$ 20 mil por semana para os golpistas.

Recebida a comunicação do crime, os investigadores passaram a realizar diligências, inicialmente cartorárias, até que foi possível identificar um suspeito, o qual, inclusive, já possuía várias passagens policiais pela prática dos crimes de estelionato, uso de documento falso, falsidade ideológica, dentre outros. Ele tinha ainda dois mandados de prisão expedidos pelo Juízo da Comarca de Goiânia, aguardando cumprimento.

Com a qualificação do suspeito em mãos, já em diligências de campo, a equipe conseguiu chegar até o endereço do suspeito, local onde também estavam outras três pessoas, sendo dois homens e uma mulher.

Na residência foram encontrados diversos documentos comprobatórios da fraude praticada em face da vítima que registrou a ocorrência, além de diversos indícios de que outras pessoas também viriam a ser vítimas do mesmo crime, como, por exemplo, 13 pacotes do que seria uma espécie de “Kit Vítima” que continha um chip de telefone, dados pessoais e um número de conta digital em nome das vítimas. Isso representaria, em termos de valores, caso consumados os golpes, por volta de R$ 65 mil em prejuízos que, com a prisão dos suspeitos, foram evitados.

Também foi realizada a apreensão de aparelhos eletrônicos que ainda serão submetidos a análise e outros documentos.

Todos os envolvidos foram conduzidos à DEIC e apresentados à autoridade policial que, entrevistadas as partes, deliberou pela autuação de todos pela prática dos crimes de estelionato (art. 171 do Código Penal) e associação criminosa (art. 288 do Código Penal).

Os presos foram interrogados e recolhidos à Delegacia de Capturas, onde passaram à disposição da Justiça. As investigações continuam e novas prisões podem ocorrer a qualquer momento.