DPCA prende em flagrante, em conjunto com a PM, mãe e padrasto por tortura a criança

237

A Polícia Civil do Estado de Goiás, através da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Goiânia (DPCA), em atuação conjunta com a Polícia Militar, prendeu em flagrante delito, na tarde de hoje (15), um casal suspeito de torturar uma criança de apenas 2 anos de idade.

Apurou-se, na tarde desta quarta-feira, através de imagens e vídeos divulgados em redes sociais, que uma criança havia sido espancada no Parque Anhanguera, Goiânia. A equipe da DPCA, de imediato, acionou o Conselho Tutelar e se dirigiu ao local apontado, onde localizou o menor, que apresentava nítidas lesões por todo o corpo, bem como o padrasto e a genitora da vítima, apontados como autores do delito. Ambos acabaram presos em flagrante e conduzidos à Delegacia.

O autor confessou o crime, mas disse que assim agiu porque o menino fez “travessuras”. A mãe da criança, por outro lado, embora tenha negado ser autora das agressões, disse que há dias vinha percebendo lesões no corpo do menor, sabendo que as lesões foram causadas pelo companheiro. A autuada disse ainda que a criança tem alergia a picada de inseto e foi agredida porque estava se coçando demais, acrescendo ser comum que a vítima, como castigo, seja colocada de joelhos no chão pelo padrasto.

Verificada a conivência materna, o flagrante foi ratificado e o casal autuado pela prática do crime de tortura, cuja pena é de reclusão de 2 a 8 anos. Os autuados serão recolhidos ao sistema penitenciário e ficarão à disposição do Poder Judiciário.