Empresas que sonegaram mais de R$ 100 milhões são alvos de operação da PCGO

154

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), em conjunto com a Secretaria de Estado da Economia (SECON), deflagrou, nesta quinta-feira (11), a Operação Peneira de Vime, com o objetivo de cumprir 29 mandados de busca e apreensão, 07 mandados de prisão temporária e a suspensão das atividades de 17 empresas, bem como o bloqueio de R$ 60 milhões das contas dos investigados.

A investigação aponta indícios de um esquema criminoso criado para sonegar o ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação) devido ao Estado de Goiás.

O imposto refere-se à venda de grãos, notadamente milho e soja, para outros estados por meio de empresas de fachadas criadas em nomes de laranjas para dissimular os verdadeiros responsáveis pelo pagamento do tributo.

Os mandados, proferidos pela juíza de Luziânia, foram cumpridos em Goiânia, Luziânia, Senador Canedo, Aparecida de Goiânia, Nerópolis, Itumbiara, Cachoeira Dourada, Cuiabá (MT), Brasilândia (MT), Xinguara (PA), Conceição do Araguaia (PA), Marabá (PA), Santa Rosa do Tocantins (TO) e no Distrito Federal. O valor atualizado de sonegação destas empresas já passa dos R$ 100 milhões.

Quatro pessoas já foram presas.