GAB conclui IP e identifica demais envolvidos em explosão do BB da Avenida T7

744

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do GAB (Grupo Antirroubo a Banco), concluiu nesta quarta-feira (01/08) as investigações relacionadas à explosão do terminal de autoatendimento do Banco do Brasil, agência localizada na Av. T-7, Setor Bueno, Goiânia, praticada na madrugada do último dia 14 de julho.

Durante a execução do delito os criminosos foram interceptados pela ação de um policial civil de folga, que acabou impedindo a subtração dos valores, possibilitando a apreensão de um menor infrator envolvido diretamente na ação criminosa. Logo após, policiais militares efetuaram a prisão de Lucas Borges de Lima Moura, Victor da Costa Lima, Marco Antônio Pires Jubé Filho e Igor Luiz Gonçalves de Oliveira, que integrariam uma associação criminosa especializada no roubo e adulteração de veículos automotores e teriam fornecido o veículo usado no furto da agência bancária.

Em continuidade, investigadores do GAB, após várias diligências e com apoio da Polícia Técnico Científica, identificaram os outros três indivíduos que estavam no veículo com o menor apreendido, e que praticaram a explosão da agência, sendo as pessoas de Henrique Soares do Nascimento, vulgo “Paraíba”; Wallyf Pereira Carvalho, vulgo “Irloirinho”; e um outro indivíduo já identificado, mas foragido até o momento.

De acordo com o delegado Samuel Moura, os criminosos somam várias anotações criminais, em especial por roubo de veículos automotores. Eles foram indiciados pelos crimes de furto qualificado pela utilização de artefato explosivo e majorado pelo repouso noturno; receptação dolosa; corrupção de menores e posse de artefato explosivo (Art. 155, §1° e §4°-A c/c Art. 180, caput, ambos do Código Penal Brasileiro c/c Art. 244-B, do Estatuto da Criança e Adolescente, c/c Art. 16, parágrafo único, III, do Estatuto do Desarmamento).

Paraíba e Irloirinho já se encontram presos preventivamente na Casa de Prisão Provisória de Aparecida de Goiânia, e as diligências continuam para prisão do quarto indivíduo já identificado.