Investigado pelo furto de 72 cabeças de gado em Goiás é preso no TO

128

Um caseiro investigado pelo furto de 72 cabeças de gado em uma propriedade rural de Petrolina, no interior de Goiás, foi preso em Figueirópolis/TO, na última quarta-feira (10). Ele é apontado como responsável pela venda de animais sem a autorização do dono do rebanho, com quem trabalhou por mais de um ano.

De acordo com as investigações, Joelson Sousa dos Santos conquistou a confiança do dono da propriedade no período em que trabalhou na fazenda e, durante a pandemia, passou a vender bezerros com a ciência do patrão. No entanto, com o objetivo de pagar um carro, o funcionário teria passado a vender ainda vacas e novilhas, como se autorizado fosse, sem o conhecimento do patrão e subtraindo os valores auferidos. Para os compradores, dizia que agia com autorização do proprietário.

Sob o argumento de que fora contratado para trabalhar em outra propriedade rural, Joelson pediu as contas, deixando a fazenda antes do prazo avençado, sem fazer a contagem do gado na presença do patrão. Embora tenha dito que seu destino era o município de Água Boa/MT, sua prisão aconteceu em Figueiropólis, município tocantinense, em uma propriedade rural em que trabalhava.

A investigação apontou que os animais subtraídos foram vendidos a terceiro (de boa fé) e posteriormente abatidos.

A divulgação da imagem e identificação do preso foi precedida nos termos da Lei n.º 13.869, Portaria n.º 02/2020 – PC, Despacho da Delegada Titular desta unidade, nº 03 DERCR/DGPC- 13550, especialmente porque visa a identificação de eventuais crimes outros cometidos pelo investigado, bem como surgimento de novas testemunhas e elementos informativos.