Namoradas de presos são suspeitas de aliciar mulheres para levar drogas e celulares para presídio

441

Duas amigas foram presas no último domingo (28), por policiais da Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc), suspeitas de levar drogas e celulares para os namorados, que estão presos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana de Goiânia. Segundo a Polícia Civil, Rayanne Fernandes Gomes Moura e Raica Sabrina da Silva Mendonça também aliciavam outras meninas para entrar com os objetos escondidos nas partes íntimas. A prisão aconteceu na casa de mãe de umas das investigadas, no Jardim Guanabara, momentos antes de a dupla seguir para a unidade prisional, onde estão detidos os respectivos namorados, Fábio Franco Beto e Wallace Vinícius Santana da Silva.

Durante a vistoria, os policiais encontraram porções de maconha, cocaína e ecstay. Também foram apreendidos oito celulares e quase 20 chips de telefone. O material era armazenado em “compartimento secreto” no painel do carro de uma delas, que exigia uma série de procedimentos para ser aberto. “Elas organizavam tudo, marcavam de encontrar e repassavam tudo para as outras meninas, que davam um jeito de entrar para dentro do presídio”, conta o delegado Fernando Gama, titular da especializada. A investigação aponta que Rayanne e Raica agiam há pelo menos três meses.

De acordo com as investigações, as mulheres colocam as drogas em papel carbono e fita isolante para que não fossem flagradas pelo aparelho de raio-X da unidade prisional. Uma das suspeitas confessou que recebia cerca de R$ 1 mil para cada aparelho celular que entrava para a cadeia. Segundo os investigadores, elas também recebiam por cada grama de droga que entrava no presídio. Os envolvidos no esquema podem ser indiciados por associação para o tráfico de drogas e por introduzir aparelhos em presídios.