Operação Incendiários cumpre mandados de prisão contra integrantes de grupo criminoso suspeito de praticar quatro homicídios; vítimas foram carbonizadas

294

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios e Grupo de Investigação de Homicídios de Trindade, deflagrou na data de ontem a Operação Incendiários, visando a prisão de integrantes do grupo criminoso denominado TROPA DO BAIANO, grupo este vinculado à facção criminosa COMANDO VERMELHO. Os integrantes do grupo criminoso são suspeitos de envolvimento em, pelo menos, quatro homicídios, sendo que três deles ocorreram na Região Norte desta cidade e um em Trindade. Os crimes ocorreram no período compreendido entre outubro de 2020 e março de 2021, sendo que três das vítimas foram encontradas carbonizadas.

O grupo era liderado de dentro do presídio de Goianira pelo preso José Roberto Marcelino de Oliveira, vulgo Baiano, o qual tinha como braço direito sua esposa, Eliene de Lima Noto, e João Bezerra de Oliveira, apelidado de Baixinho. Também integravam o grupo criminoso Francisco Lucas Pereira Brandão, Edson Gomes da Silva e Brenda de Lima Pimenta. A principal atividade desenvolvida pelo grupo era o tráfico de drogas nos bairros Orlando de Moraes e Residencial Antônio Carlos Pires, na capital.

Durante a investigação, ficou apurado que o grupo agia de forma extremamente cruel e covarde – as vítimas eram atraídas para a residência de um dos investigados e agredidas brutalmente com golpes de faca e marreta até a morte. Após a prática dos crimes, os investigados desovavam as vítimas em local ermo e ateavam fogo. Todos os homicídios estão relacionados com as atividades criminosas do grupo.

Apurou-se também que o grupo aterrorizava os moradores do bairro que, de alguma forma, contrariavam as ordens de seus integrantes. Durante a operação, foram apreendidos em poder dos investigados duas armas de fogo, dinheiro e uma quantidade considerável de drogas, entre maconha, crack e cocaína. Todos os oito investigados foram presos na data de ontem (27), durante a operação.

A divulgação da imagem e identificação dos presos foi precedida nos termos da Lei n.º 13.869, Portaria n.º 02/2020 – PC e Despacho DIH/DGPC – 09555 da lavra dos responsáveis pela investigação, especialmente porque visa à identificação de possíveis outros crimes praticados pelos suspeitos, bem como surgimento de novas testemunhas e elementos informativos.