Operação da DIH prende grupo suspeito de cometer dez assassinatos em disputa por tráfico

705

A segunda fase da Operação Força Centrífuga, coordenada pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), prendeu nove pessoas suspeitas de participar de uma facção criminosa que seria responsável por dez assassinatos em Goiânia. Outros seis alvos já cumpriam pena em presídios de Aparecida de Goiânia e outras cidades do interior do estado por crimes diversos. A polícia acredita que os crimes estão ligados à disputa de território por traficantes.

Os suspeitos têm idades entre 18 e 26 anos. “Conseguimos elucidar 10 homicídios com a operação. Muitos eram motivados pela disputa de território por tráfico de drogas na região sul de Goiânia”, disse o delegado Rilmo Braga, titular da DIH. Entre os homicídios estão a morte de um casal na Rua 1008, no Setor Pedro Ludovico, no dia 12 de fevereiro de 2019. Outro crime elucidado aconteceu em agosto de 2017, em frente a um shopping no Jardim Goiás. A vítima, que cumpria pena em regime semiaberto, estava dentro do carro e levou mais de 15 tiros.

De acordo com secretário de Segurança Pública, Rodney Rocha Miranda, os crimes cometidos pelo grupo estão ligados ao tráfico e que os líderes atuam mesmo estando presos. “Uma das lideranças já estava presa. Vamos trabalhar no sentido de isolar cada vez mais essas lideranças para que eles entendam que presídio é lugar de cumprir pena'”, disse o secretário.

Os suspeitos devem responder pelos crimes de homicídio, organização criminosa e tráfico de drogas.