Operação Falso Pedido: Cibernéticos prende casal que ostentava vida de luxo aplicando golpes via aplicativo de mensagens

175

Na manhã de hoje (28), a Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), realizou a Operação Falso Pedido, que é resultante de investigação policial para apurar a autoria de golpes aplicados via WhatsApp.

O pai de uma médica, muito respeitada e conhecida na cidade de Goiânia, teria recebido mensagens via WhatsApp, por meio das quais os criminosos se passaram pela filha dele. Após algumas trocas de mensagens, os criminosos solicitaram transferências bancárias, e o idoso, de 72 anos de idade, por acreditar que era a filha dele, acabou realizando transferências que totalizaram R$ 50 mil.
Através de intensas investigações, foi verificado que o golpe havia sido aplicado por um casal de Goiânia que, através do uso de empresas de fachada, lavavam o dinheiro oriundo dos golpes.

Funcionava da seguinte forma: após a entrada dos valores transferidos pela vítima em contas bancárias alugadas de “laranjas”, o casal utilizava máquinas de cartões de crédito/débito para receber o dinheiro, como se fosse resultante de vendas realizadas pelas empresas registradas em nome do casal. A equipe da DERCC também constatou que o casal de golpistas levava vida de luxo, residindo em ampla casa com piscina e havia adquirido um veículo de alto custo, um Range Rover/Land Rover, ano/modelo 2020, avaliado em R$ 300 mil. Desta forma, a Polícia Civil representou judicialmente e teve deferido pelo Poder Judiciário o sequestro/apreensão do referido veículo, haja vista que o automóvel certamente é oriundo de dinheiro resultante dos golpes por eles aplicados.

A equipe policial verificou que, em uma única máquina de cartão de crédito/débito dentre as 48 apreendias na residência do casal investigado, é possível observar que o relatório consolidado das movimentações financeiras aponta para um total de R$ 261.736,00 (duzentos e sessenta e um mil setecentos e trinta e seis reais), dinheiro de origem possivelmente ilícita, que teria circulado entre os dias 28/09/2020 e 28/10/2020.

Durante as buscas na casa do casal de golpistas, foi realizada ainda a prisão em flagrante delito dos mesmos, pois eles possuíam irregularmente uma arma de fogo, tipo Pistola, calibre 380 e 82 munições de mesmo calibre intactas. Ainda foram apreendidos 84 cartões bancários em nome de diversas pessoas. Os cartões seriam utilizados para recebimento de valores obtidos com os golpes. Os policiais também apreenderam R$ 3.680,00 em espécie, 48 máquinas de cartões crédito/débito, 03 notebooks e 15 aparelhos celulares. Todos os aparelhos serão periciados.

A Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos alerta que, não obstante a realização incessante de ações policiais que resultaram na prisão de diversos envolvidos na prática de golpes via WhatsApp, os estelionatos continuam a ser praticados. Portanto, recomenda-se que os usuários do aplicativo de mensagem, ao receberem pedidos de transferências bancárias, mesmo que em nome de familiares e amigos, não realizem qualquer disponibilização do valor pecuniário, sem que antes verifiquem se o pedido realmente é oriundo daquela pessoa que está se identificando por meio do perfil de WhatsApp.