Operação Tanino cumpre mandados em residências e escritórios de Jussara e Firminópolis

865

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), com apoio da Secretaria da Economia, realizou, na terça-feira (4), a Operação Tanino,  cujos alvos são um servidor da Secretaria da Economia de Firminópolis e contadores do município de Jussara.

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em residências e escritórios de contabilidade em Jussara e na sede da AGENFA do município de Firminópolis.

De acordo com as investigações, o servidor e contadores investigados utilizavam-se de cadastro de contribuintes de produtores rurais da região para simular transações agropecuárias visando justificar investimentos para obtenção de financiamentos junto a instituições bancárias.

Segundo o delegado Marcelo Aires, titular da DOT, o servidor teria emitido, do início de 2019 até agora, pelo menos 100 notas avulsas falsas. Ele é concursado e está no cargo há mais de 20 anos.

“Como o produtor rural que quer pegar empréstimo no banco com juros mais baixos precisa provar que está ampliando seus negócios, este servidor oferecia a eles notas fiscais de compras falsas, mas que tinham a chancela da Secretaria da Economia. E cobrava 10% sobre o valor final. Para não levantar suspeitas de sonegação, ele lançava essas notas no sistema com isenção financeira”, explicou o delegado.

A polícia vai analisar, agora, os celulares e computadores que foram apreendidos durante a ação em Firminópolis e Jussara. O servidor, que já foi afastado das funções por 60 dias, e duas contadoras, responderão por crime contra tributação, associação criminosa e crime contra a administração pública. O prejuízo aos cofres públicos é de mais de R$ 2 milhões.