Operação Tanino: DOT deflagra terceira fase da operação em Jussara; investigação apura sonegação para concessão de crédito bancário

225

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), deflagrou nesta quinta-feira (28), com apoio da Secretaria Estadual da Economia, a terceira fase da Operação Tanino.

Esta nova fase tem como alvos empresas de assessoramento rural localizadas na município de Jussara. A Polícia Civil cumpriu quatro mandados de busca e apreensão na sede de uma empresa de assessoramento rural e em residências de investigados. Durante o cumprimento das buscas realizadas hoje, os policiais civis apreenderam computadores, celulares e documentos que podem subsidiar provas da prática delituosa investigada. A Secretaria da Economia auxilia nas investigações e já apurou um montante de mais de R$ 2 milhões a título de tributos sonegados.

Das investigações

A Operação Tanino investiga a atuação de grupos criminosos na cooptação de agropecuaristas da região para obtenção de crédito bancário, junto ao Banco do Brasil, mediante emissão de notas fiscais fraudulentas com utilização de “laranjas”. Os investigados teriam simulado a aquisição de insumos, animais, defensivos agrícolas e outros produtos para justificar a obtenção de recursos a juros módicos perante a instituição bancária.

As duas primeiras fases da investigação, deflagradas em fevereiro e maio de 2020, identificaram indícios de crime por parte de empresas e de um servidor da AGENFA de Jussara. O servidor teria colaborado através de emissão de notas fiscais de maneira irregular, inclusive mediante a concessão de isenção tributária. Na primeira fase da Operação Tanino, o Poder Judiciário determinou o afastamento do cargo do servidor envolvido.

Os investigados respondem, no inquérito, por crime tributário, crime contra a fé pública, crime contra a administração pública e associação criminosa, além de terem de arcar com o pagamento dos tributos sonegados acrescidos de multa.