Operação Trajeto Seguro: Polícia Civil cumpre mandados de prisão e buscas contra suspeitos de roubo a motoristas de aplicativos em Aparecida

149

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA), cumpriu três mandados de prisão e quatro mandados de busca e apreensão expedidos em desfavor de suspeitos de roubarem motoristas de aplicativos na cidade de Aparecida de Goiânia. As medidas referem-se a investigados por dois casos distintos e ainda redundaram na prisão em flagrante de uma investigada pelo crime de receptação.

Num dos crimes, ocorrido no mês de fevereiro deste ano, os Policiais Civis identificaram integrantes de um grupo criminoso, que conta com adolescentes, responsável por roubar motoristas de aplicativos. Após subtraírem os veículos na cidade de Aparecida de Goiânia, os investigados Italu Caike Soares Dias e João Marcos Carneiro Silva, na companhia de quatro adolescentes, trafegavam por bairros de Goiânia e roubavam diversos pertences de transeuntes na modalidade arrastão. Um dos motoristas, inclusive, teve sua liberdade restringida após ser colocado no porta malas do carro enquanto os investigados cometiam os assaltos.

Foram identificados, pelo menos, 4 roubos de veículos que foram recuperados no transcurso das investigações e mais de uma dezena de vítimas desse grupo criminoso.

No outro caso, ocorrido no mês de março de 2020, o investigado Lucas Matheus de Souza foi preso preventivamente pela prática de um roubo a motorista de aplicativo, também ocorrido em Aparecida. Nesta investigação, após o cumprimento de mandado de busca e apreensão, na residência da cunhada de Lucas, os Policiais Civis localizaram um dos objetos subtraídos da vítima, motivo pelo qual a investigada foi presa em flagrante delito de receptação.
Vale frisar que Lucas foi preso recentemente também por roubar o veículo de um motorista de aplicativo.

Com essas e outras ações, a Polícia Civil pretende trazer maior tranquilidade para que os cidadãos goianos possam continuar suas atividades profissionais. As imagens dos presos foram veiculadas para possibilitarem o reconhecimento por parte de outras vítimas.