Operação Zayn III prende contador de facção criminosa que atuava no roubo de cargas

962

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar), em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), após vinte e cinco dias de intensas campanas na cidade de São Paulo, deram cumprimento ao mandado de prisão preventiva expedido contra Alexandre Keller Guimarães Valarin, líder de uma organização criminosa especializada em roubos de cargas e caminhões, adulterações de sinais identificadores, falsificações de documentos e corrupção ativa. Ele foi preso no dia 12 de setembro e agora recambiado para Goiânia.

A Operação Zayn, na primeira fase deflagrada no dia 30 de agosto do ano passado, efetuou várias medidas cautelares, como cumprimento de mais de trinta mandados de prisões e mais de cinquenta buscas e apreensões nos estados de Goiás, São Paulo, Pará e Mato Grosso. Nesta ocasião, Alexandre Keller conseguiu empreender fuga e desde então morava fora do país (Bolívia), de onde ainda coordenava os escusos negócios escusos do grupo. 

Na segunda fase da operação, o advogado da organização criminosa também foi preso, e os bens adquiridos com as ações criminosas, apreendidos, haja vista pedido de perdimento dos mesmos feito ao Poder Judiciário.

Alexandre Keller, além de chefe da organização criminosa (núcleo de São Paulo) – juntamente com Pedro Joaquim Batista (núcleo de Goiás), Adão Noel Mazeto (núcleo de Mato Grosso) e Calisto Abdala Neto -, também era responsável pela função de contador na região de Rio Branco para uma outra organização criminosa nacionalmente conhecida.

A operação terminou com mais de cinquenta caminhões e carretas recuperados, mais de trinta roubos de cargas elucidados, quatro empresas de transportes fechadas e 39 pessoas presas, além de substancial montante em dinheiro apreendido.

Delegado responsável: Alexandre Bruno de Barros.