PCGO investiga manejo inadequado de solo e excesso de barro em córrego de Marzagão

166

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), instaurou inquérito para apurar as causas da turbidez excessiva do Córrego do Bagre, na região de Marzagão, que ocasionou a interrupção do abastecimento de água no município, na última semana. Em diligências pela região, a equipe policial constatou que a causas foram o desmatamento, inclusive de margens do córrego, áreas preservação permanente, de nascentes, declividades do solo arenoso, falta de manejo adequado de solo, entre outras.

Segundo o delegado Luziano Carvalho, titular da delegacia especializada, grande parte da terra de pastagem foi manejada para abrigar cultura de grãos, sobretudo, de soja. “Em levantamento preliminar, já apuramos que uma única pessoa arrendou 20 mil hectares de terra para plantio”, conta o delegado. No local, foram encontradas grandes valas, onde estavam sendo enterradas árvores cortadas, bem como restos de queimadas. Essa movimentação inadequada do solo, conforme Carvalho, faz com que a terra seja levada durante as chuvas, o que causa o excesso de barro, tornando a água imprópria para o consumo.