Polícia Civil desvenda homicídio de traficante ocorrido na Feira da Lua

530

A Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) concluiu a apuração sobre o assassinato do traficante Diego Jesus da Silva, conhecido como “Pica-Pau”, ocorrido em 3 de agosto, na Praça Tamandaré, no Setor Oeste, em Goiânia, no momento em que acontecia a Feira da Lua. O suspeito de executar o crime, Douglas Pereira Cardoso, confessou o crime ao ser preso e apontou como mandante do crime, Alexandre Higor, vulgo “Xandinho”, morto em confronto com a Polícia Militar cinco dias após a execução de Pica-Pau.

De acordo com as investigações, conduzidas pelo delegado Francisco Costa,  tanto a vítima, quanto os dois investigados eram traficantes de drogas e integrantes de facções criminosas rivais atuantes naquela região. Além disso, a vítima e Douglas tinham uma rixa antiga, desde dividiram a mesma cela na prisão. Diego, que havia saído da cadeia quatro dias antes de ser executado, estaria vendendo drogas no local, atitude que incomodou os algozes, os quais combinaram de matá-lo.

Para manter o monopólio da venda de drogas na região, Alexandre Higor pagou a execução com 50 gramas de crack, R$ 800 em dinheiro e forneceu a arma usada no crime. Obedecendo a ordem do comparsa Xandinho, Douglas foi até o local e efetuou quatro disparos contra Diego, o qual havia acabado de repassar um pacote de droga a um usuário. A vítima morreu no local. A ação foi registrada por câmeras de monitoramento.