Polícia Civil prende três pessoas por envolvimento em golpe numa casa lotérica no Estado da Bahia

345

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC), prendeu três suspeitos por envolvimento em um golpe que gerou um prejuízo de mais de R$ 63.000,00 (sessenta e três mil reais) para uma casa lotérica localizada em uma cidade do interior do Estado da Bahia.

O golpe, que tem vitimado casas lotéricas em todo o país, tem como engenharia social a atuação de um indivíduo que se passa por gerente do estabelecimento e, em uma mensagem de aplicativo, informa a algum atendente que um técnico de TI da Caixa Econômica entrará em contato para fazer atualizações nos sistemas. Em seguida, o suposto técnico entra em contato com o mesmo atendente e diz ter feito atualização remota e, para testar se as atualizações foram feitas, pede para que sejam realizadas diversas  transações (depósitos, transferências e pagamento de boletos), alegando ser uma simulação, mas as transações são reais. Por fim, para que não se perceba imediatamente o golpe, ele pede que os equipamentos sejam desligados e religados após 15 minutos, tempo suficiente para que os valores depositados/transferidos, geralmente para contas de laranjas, sejam sacados e/ou pulverizados em outras contas, impedindo sua recuperação.

A equipe de policiais civis do GREF/DEIC já vinha investigando um grupo que atuava no Estado de Goiás e, após uma troca de informações com a Polícia Civil da Bahia, conseguiu confirmar a participação de alguns deles no crime que vitimou a casa lotérica baiana.

Na ocasião, três deles foram presos em flagrante, na quarta-feira (21), sendo eles um agenciador de contas bancárias e dois laranjas que emprestaram as contas para recebimentos dos valores produto do crime.

Pelo menos outros 13 suspeitos já foram identificados após a instauração do inquérito policial e novas prisões podem ocorrer a qualquer momento. Os três indivíduos, que tiveram sua prisão em flagrante convertida em prisão preventiva, foram recolhidos na CPP. Já as investigações devem ser encerradas nos próximos dias.