Preso suspeito de matar homem que teria se passado por mulher em rede social para marcar encontro

370

Um jovem de 24 anos foi preso suspeito de matar um homem que teria se passado por mulher em uma rede social para marcar um encontro com ele, em Goiânia. Werlon Pablo Dias Fogaça foi preso no dia 14 de julho por policiais da Delegacia de Investigações Criminais (Deic) e confessou o homicídio. A vítima, de 40 anos, que não teve a identidade divulgada, trabalhava em casas de poker e foi assassinada no dia 18 de junho, no Solange Park.

“O suspeito e a vítima não se conheciam. Werlon diz que conheceu uma mulher por um aplicativo de relacionamento, e essa mulher marcou um encontro com ele em um churrasco na casa de um amigo, que era a vítima. Como a suposta mulher não apareceu e estavam só os dois na casa, o Werlon decidiu ir embora, mas a vítima tentou manter uma relação sexual com ele, o que motivou o crime”, disse a delegada Mayana Rezende, titular da Deic.

A polícia acredita que a vítima tenha usado um perfil falso para atrair Werlon até a casa. “O suspeito formatou o celular que tinha e quebrou o da vítima. Então, não foi possível analisar essa trocas de mensagens com essa suposta mulher. A vítima não chegou a falar que usava perfil falso para o Werlon, mas vamos pedir ao aplicativo dados sobre essa conta para confirmar se o homem realmente administrava esse perfil”, completou Mayana.

A vítima teve o pescoço cortado por uma garrafa de vidro quebrada. De acordo com a polícia, após o crime, Werlon ligou para a irmã para que ela fosse até a casa da vítima pegá-lo. Na sequência, os objetos da vítima foram levados para a residência da mãe do autor, onde foram queimados. Câmeras de segurança da região registraram os irmãos deixando a casa da vítima com os objetos. O autor vai responder por homicídio e furto qualificado. Já a irmã dele chegou a ser presa pelo furto, mas responde ao processo em liberdade.