Junho Vermelho: policiais civis participam de campanha de doação de sangue ao Araújo Jorge

77

Encerrando a campanha Junho Vermelho, mês de conscientização para a doação de sangue, e tendo em vista uma possível suspensão das suas cirurgias eletivas, o Hospital de Câncer Araújo Jorge (HAJ) organiza, nesta quarta-feira (30), uma doação de sangue coletiva. Estendendo o braço, e abrindo o coração por quem luta contra a doença, representantes de órgãos de Segurança Pública e Trânsito, como Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Civil (PC) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Agentes, escrivães, delegados e papiloscopistas da Polícia Civil de Goiás estiveram no hospital e fizeram sua doação para auxiliar na campanha.

A partir das 7 horas, ao lado da Polícia Militar (PM), do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás (Sinpol), da Guarda Municipal Civil Metropolitana (CGM) e da Secretaria Municipal de Trânsito Transporte e Mobilidade (SMT), um agente de cada entidade fará uma doação simbólica, no intuito de conscientizar a população acerca da importância do ato. É que desde o início da pandemia de Covid-19, a instituição não enfrentava um período tão complicado em relação a queda no fluxo de doadores/semana.

Outro fator que vem impactando os estoques do Banco de Sangue é o aumento do número de cirurgias, um reflexo direto da ausência dos pacientes no início da pandemia, e o consequente atraso no início do tratamento. O resultado disso é o recebimento de pessoas com cânceres em estágios mais avançados, o que vem obrigando o HAJ a tratar grande parte dos casos na mesa de cirurgia.

A ação desta quarta-feira (30) foi motivada pela diminuição de 71% nos estoques de bolsas, o que resultou, inclusive, na ampliação do funcionamento do Banco de Sangue. Agora o local, que fica na Rua 239, no Setor Universitário, funciona também aos sábados, entre 7h e 13h.

Particularidades do tratamento oncológico

A criticidade no nível dos estoques é particularmente preocupante quando se trata dos bancos de sangue de hospitais oncológicos, como o HAJ. Tudo por que, ao contrário dos tradicionais, as unidades não trabalham com os chamados período sazonais.

O último levantamento feito por ela apontou, entre outras coisas, que os estoques de sangue dos tipos B+, O+, O -, AB + , B – e AB – estavam particularmente baixos. Cenário que fica ainda mais alarmante quando se leva em conta que das 160 pessoas atualmente internadas no HAJ, estima-se que 45 façam uso diário do sangue armazenado no local. Só no Setor de Hematologia, por exemplo, 90% dos pacientes precisam, em algum momento de transfusão sanguínea.

Para doar, é preciso:

– Estar em boas condições de saúde
– Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos
– Menores de 18 anos só doam mediante apresentação de formulário de autorização
– Pesar, no mínimo, 50kg
– Estar descansado (ter dormido pelo menos 8 horas nas últimas 24 horas)
– Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação)