Mulher é presa em Luziânia suspeita de vender atestados médicos falsos

327

A Polícia Civil, por meio do Grupo Especial de Repressão a Crimes Patrimoniais (Gepatri) de Luziânia, prendeu hoje (19), em flagrante delito, uma mulher, de 44 anos, suspeita de emitir atestados médicos falsos.  A investigada foi vista pelos policiais na posse de um papel dobrado. Ela entregaria um atestado médico para um homem que estava em um veículo Fiat/Pálio de cor cinza. Depois que os policiais renderam a suposta autora, o condutor do veículo empreendeu fuga. Com ela, foi encontrado um atestado médico preenchido e emitido na data de hoje, supostamente por uma médica.

Os policiais civis também realizaram adentramento na residência da autora, que negou vendeer atestados médicos. Contudo, no armário da cozinha, em uma sacola de cor transparente, foram encontrados diversos blocos de atestado de comparecimento da Secretaria Municipal de Saúde, atestados médicos da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, assim como solicitações de exames médicos e receituários de controle especial da mesma secretaria.

Foram localizados ainda laudos médicos para solicitação de passe livre da Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos do Distrito Federal, além de uma folha de caderno com anotações contendo códigos CID (Código Internacional de Doenças), 5 carimbos diversos de supostos médicos e 3 receituários preenchidos em nome de supostos pacientes, assinados por supostos médicos, sendo dois do Distrito Federal e um da Secretaria de Saúde de Luziânia. A autora presa em flagrante responderá por falsificação de documento público e receptação.