Polícia Civil conclui inquérito que investigou subtração de valores de cofre da prefeitura de Formosa

47

A Polícia Civil de Goiás, por intermédio do Grupo Especial de Repressão a Crimes Patrimoniais (Gepatri) de Formosa, finalizou as investigações acerca do desaparecimento de mais de quinze mil reais de cofre da prefeitura municipal da cidade.

A quantia era referente à arrecadação da bilheteria do Parque Municipal do Itiquira durante o carnaval e deveria ser armazenada em caixa forte existente no prédio do Executivo. Ocorre que, na manhã de 6 de março deste ano (quarta-feira de cinzas), o malote que deveria conter os valores estava vazio.

A Polícia Civil e perícia foram acionadas e foram realizadas as primeiras diligências. Foram coletadas impressões digitais e apreendidas imagens do circuito de câmeras de segurança do prédio.
Desde então, equipes do Gepatri percorreram todas as versões possíveis e os trabalhos restaram-se finalizados no dia 12 de junho deste ano, com o relatório final do inquérito.

Como resultado, concluiu-se que o servidor municipal Ricardo Maciel Dourado apropriou-se dos valores arrecadados durante o carnaval. Enquanto investigado, Ricardo forneceu informações conflitantes, assim como confessou ter desobedecido ordens expressas de armazenar os proventos diariamente no cofre da sede municipal. Ao invés disso, levava diariamente o dinheiro para sua casa, o que fez com que os valores somassem mais de quinze mil reais.

Ao final, teria inserido a bolsa vazia no cofre na tarde de terça feira (5 de março deste ano), sendo a mesma encontrada sem o dinheiro na manhã de quarta-feira de cinzas.

O indiciado apropriou-se de valores de que tinha a guarda em razão do cargo, cometendo assim o crime de peculato, cuja pena máxima pode chegar a doze anos de reclusão. Foram representadas pelas medidas cautelares diversas da prisão para que o servidor seja afastado das atividades a fim de não interferir nos trabalhos processuais seguintes.