Polícia Civil prende suspeito de homicídio ocorrido em Edéia; autoria foi comprovada por meio de exame de DNA

583

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia (DP) de Edéia, prendeu nesta terça-feira (13) indivíduo suspeito do homicídio de Juscelena Pereira Fernandes. Juscelena foi morta há exatos 3 anos, no dia 13/10/2017, e seu corpo, com sinais de violência, foi encontrado, por volta das 03hs da madrugada, em uma estrada vicinal nas proximidades da pista de motocross de Edéia.

Consta do Laudo de Exame Cadavérico que a vítima foi atingida com um golpe de objeto contundente na cabeça e estrangulada com algo semelhante a um cinto. Depois de morta, teve o corpo abandonado na estrada vicinal. Durante o estrangulamento, conforme apontou a investigação, a vítima teria arranhado o executor na tentativa de se desvencilhar. Por isso, foram colhidas amostras de material biológico contido sob as unhas da vítima, onde foi encontrado DNA diferente do de Juscelena.

Para se averiguar de quem seria o DNA encontrado, pessoas que poderiam ter alguma ligação com o crime, foram encaminhadas à Polícia Técnico-Científica para coleta de amostra de DNA, visando posterior confronto com o material genético retirado da vítima. Realizado o exame, foi constatado que DNA presente sob as unhas de Juscelena pertence ao indivíduo preso na data de hoje.

Além do exame de DNA, cujo valor probatório é extremamente relevante, há diversos outros indícios que ligam o preso ao crime. Qualificado e interrogado, o suspeito confessou o homicídio. Com a prisão, a Polícia Civil elucida um crime que deixou a população Edeense bastante chocada à época, reforçando o compromisso da instituição com a descoberta da verdade.

O suspeito será indiciado pelos crimes de homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver, sujeito a uma pena que, somada, varia entre 13 e 33 anos de prisão.