Polícia Civil prende terceiro envolvido em latrocínio ocorrido em Caiapônia

338

A equipe de policiais civis da Delegacia de Polícia (DP) de Caiapônia, com apoio dos policiais militares, prenderam na madrugada desta segunda-feira (24), na cidade de Bom Jardim de Goiás, Adriano Batista Ferreira, suspeito de ter sido um dos autores do crime de latrocínio que vitimou Daniel da Silva Bueno no dia 16 de maio último. O caso teve muita repercussão. As imagens foram gravadas pelas câmeras de segurança da residência.

A investigação ao terceiro envolvido começou após a prisão dos dois autores Vinicius de Jesus Moreira de Lima e Caio Conceição do Nascimento, detidos no dia 23 de maio. Vinicius e Caio adentraram na casa das vítimas e ceifaram a vida de Daniel, bem como alvejaram com um disparo de arma de fogo a perna do proprietário da residência Emilson Costa Santos. Ambos afirmaram que havia um terceiro envolvido e que esse homem se tratava Adriano Batista Ferreira. Segundo a dupla, Adriano foi o responsável por toda a logística: teria arrumado as armas para a prática do latrocínio e foi também o responsável por dirigir o veículo utilizado para a prática delituosa. Segundo Vinicius e Caio, após o latrocínio, Adriano ficou com o celular roubado da vítima Daniel e com as armas utilizadas no crime.

Durante as investigações da Polícia Civil, foi constatado que Adriano também teve participação em um roubo praticado contra Daniel e sua esposa no ano de de 2017. Naquele ano, ele descontou diversos cheques roubados na casa das vítimas.

Diante dos fatos, a autoridade policial representou pela prisão preventiva de Adriano e, na noite desse domingo (23), os policiais civis e militares de Caiapônia tiveram informações de que ele estaria participando de uma festa junina que ocorria na cidade de Bom Jardim de Goiás. Com isso, a equipe se deslocou até a cidade e prendeu Adriano nas festividades por volta da meia noite desta segunda-feira (24). Com Adriano foi encontrado o celular de Daniel, roubado no dia do fato. Após a prisão, o investigado foi recolhido no presídio de Caiapônia, ficando à disposição da Justiça.
Delegado responsável: Ronaldo P. Leite.