Catador de recicláveis é preso em Luziânia por homicídio bárbaro

541

Um catador de materiais recicláveis de 19 anos foi preso nessa segunda-feira (14), em Luziânia, suspeito de matar uma mulher, de 50, com facadas e pauladas. O crime ocorreu em 15 de fevereiro do ano passado, em Águas Claras, no DF. De acordo com as investigações, Vagner Augusto de Laura agrediu a vítima, Maria da Paz Bruno da Silva, e depois que ela ficou desacordada, a arrastou e consumou o homicídio em frente a uma faculdade.

O irmão dele, Reginaldo Augusto de Laura, já havia sido preso pelo crime. Já um amigo, conhecido apenas como “Catarino”, está foragido. Durante a prisão, ele preferiu se manter em silêncio.  De acordo com o delegado Rodrigo Mendes, todos eram usuários de drogas. Na ocasião da morte, a vítima, que também trabalhava como catadora, caiu em uma armadilha. “Eles tinham um desentendimento, mas eventualmente, saíam juntos. Na cabeça dele, a Maria estava armando uma emboscada para ele”, explicou Mendes.

O delegado afirmou que a mulher, ao chegar ao local, percebeu um “clima estranho” e tentou fugir. Porém, eles a perseguiram e conseguiram alcançá-la. “Primeiro eles a agrediram com um porrete na cabeça. Ela desmaiou. Então eles a pegaram pelos cabelos, arrastaram ela pela rua e depois a mataram com golpes de pau e facão. Depois, deixaram o corpo no local”, destaca. Pela morte da mulher, ele já havia sido, inclusive, denunciado pelo Ministério Público e responderá por homicídio qualificado. Se condenado, por pegar uma pena que varia de 12 a 30 anos.