GIH de Jataí encontra corpo de jovem morto em outubro e prende autores do crime

432

Policiais do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Jataí prenderam temporariamente, no dia 9 de janeiro, Aldo Nunes Ferreira, de 59 anos, Jussara Natália dos Santos, de 28 anos, e Isenrau Queiroz Vicente, de 47 anos, suspeitos de terem matado Joadir Lopes Pinheiro (foto), de 36 anos, na cidade de Itajá. A vítima estava desaparecida desde 24 de outubro do ano passado e seu corpo foi localizado enterrado em uma cova no alto da Serra do Lual, zona rural de Itajá, a cerca de seis quilômetros da cidade.

Aldo foi preso na cidade de Aporé, em sua residencia, onde os policiais apreenderam 19 pedras de crack e a quantia de R$ 620 em espécie. A arma do crime, uma carabina puma calibre 38, foi apreendida em poder de Isenrau. Segundo o delegado que coordenou a operação, Elexandre Cezar Rossignolo, a vítima foi levada por Aldo e sua esposa, Jussara, para o alto da serra, onde Isenrau aguardava, atraído por uma falsa promessa de trabalho em uma fazenda. No local, ele foi executado com dois disparos na cabeça. Em seguida, o trio enterrou o corpo da vítima com a intenção de ocultar o cadáver e dificultar as investigações.

Aldo foi autuado em flagrante pelos crimes de tráfico ilícito de drogas e ocultação de cadáver, sendo que Jussara e Isenrau foram autuados em flagrante apenas pela ocultação de cadáver. Os três irão responder ainda pelo crime de homicídio qualificado, considerando que o crime foi cometido mediante dissimulação, o que dificultou a defesa da vítima. O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto de Criminalística de Goiânia para realização de exame pericial de identificação, considerando o avançado estado de putrefação. Os autores encontram-se presos na cidade de Itajá à disposição da Justiça.