GIH de Luziânia cumpre mandados contra investigados por homicídio qualificado

641

A Polícia Civil, por intermédio do GIH (Grupo de Investigação de Homicídios) de Luziânia, deu cumprimento a mandados de prisão temporária expedidos contra Marcônio Alves de Araújo e Guilherme da Silva Tosta, suspeitos de serem coautores do crime de homicídio qualificado perpetrado no dia 10 de setembro do ano passado, no bairro Jardim Ingá, contra a vítima Gleudson Lima Machado, que foi morto a tiros.

Consta nos autos do inquérito policial que, no dia dos fatos, ao avistarem a vítima na rua, na companhia de outros comparsas (já devidamente identificados), os investigados foram ao encalço de Gleudson, utilizando o veículo da genitora de Guilherme. Ao perceber que estava sendo seguido, Gleudson tentou fugir, mas acabou perdendo o controle do veículo que dirigia e colidiu com a calçada. Em seguida, abandonou o veículo e tentou se evadir a pé, mas foi alcançado pelos rivais e alvejado por seis tiros.

Interrogados, Marcônio e Guilherme optaram por permanecerem em silêncio e se manifestarem apenas em juízo. O delegado Maurício Passerini afirmou que “embora já haja provas suficientes para indiciá-los, o motivo do crime ainda é incerto, podendo ser consequência de desavenças anteriores entre os autores e a vítima, pois Gleudson havia se envolvido com a namorada de um amigo deles”. Passerini ainda relatou que recentemente a dupla foi presa em flagrante, também em Luziânia, pela prática de crime de tráfico de drogas, ocasião em que foram surpreendidos na posse de aproximadamente 25 quilos de maconha.

Participaram das investigações e das diligências os policiais Ygór, Deuzélia, Brasiliano, Helena e André.