Operação 11.340 cumpre prisão preventiva de investigado por agressão a namoradas, uma delas, de origem Kalunga

196

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia (DP) de Cavalcante, deflagrou, no Dia Internacional da Mulher (08 de março), a Operação 11.340, em referência à Leia Maria da Penha. Na operação, foi cumprido o mandado de prisão preventiva de Genival Alves da Silva, 29 anos. A vítima, uma mulher Kalunga, compareceu à delegacia para narrar as agressões domésticas graves que vinha sofrendo, que consistiam em golpes de facão com o lado do corte na cabeça, braços e pernas. Além disso, registrou também que estava sujeita a humilhações sem precedentes, como caminhar de um vilarejo a outro despida. Ela identificou o agressor como sendo seu namorado.

Após a correta identificação e qualificação do suspeito, os policiais civis, mediante trabalho policial investigativo, localizaram o indivíduo, que trabalhava em Goiânia, na região da 44, polo de venda de roupas. A equipe de Cavalcante veio então a Goiânia, onde deu voz de prisão ao suspeito.

No momento da prisão, Genival Alves estava com a atual namorada, a qual apresentava várias lesões recentes e antigas, aparentemente decorrentes de socos e pauladas no rosto, nos braços e nas pernas. Esta vítima não confirmou que eram decorrentes de violência doméstica, todavia, explicou detidamente o modus operandi do suspeito, o mesmo utilizado com a vítima Kalunga e com outras ainda não identificadas. Ele as conhecia através do Facebook, as seduzia e as levava para outro Estado onde não conhecem ninguém. Desta forma, as namoradas ficavam à mercê das agressões, sendo violentadas grave e continuamente. O investigado foi conduzido ao Centro de Triagem do Complexo Prisional Odenir Guimarães, em Goiânia, onde está à disposição do Poder Público. A atual namorada foi orientada a procurar a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia para a tomada das providências legais cabíveis.

A imagem do investigado é divulgada tendo em vista o princípio da primazia do interesse pública, uma vez que, consoante as notícias obtidas pela Polícia Civil, ele pode ter feito outras inúmeras mulheres vítimas. Desta forma, a imagem foi divulgada em conformidade com os ditames da Lei 13.869/2019 e a Portaria n. 02/2020 – PCGO.