Operação 1989: Polícia Civil deflagra segunda fase da operação e prende homem investigado por estupro à filha surda-muda

278

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia (DP) de Alto Paraíso de Goiás, cumpriu hoje (02) mandado de prisão preventiva e de busca e apreensão em desfavor de um homem de 44 anos. Ele foi preso em São João D’Aliança, na região da Chapada dos Veadeiros, onde reside.

O autor é investigado em dois inquéritos policiais pelos crimes de descumprimento de medida protetiva; tentativa de estupro de vulnerável; estupro em continuidade delitiva contra sua própria filha surda-muda e apropriação de benefícios de pessoa com deficiência.

As investigações tiveram início após denúncia feita pela ex-companheira do autor, uma mulher de 38 anos, que desconfiava que ele abusava da própria filha deficiente do casal. A ex-companheira declarou à Polícia Civil que inclusive já tinha encontrado papel higiênico manchado de sangue ao lado do móvel da cama em que a vítima dormia.

A filha do autor, 22 anos, pessoa com deficiência, prestou declarações em sede policial e confirmou que sofreu reiterados abusos sexuais por parte do pai, desde muito jovem. Além disso, disse que, apesar de estar casada, ter saído de casa e estar grávida, o autor continuava a estuprá-la quando seu marido saía para o trabalho, além de se apropriar do seu cartão de benefícios da Previdência Social.

O investigado também descumpriu medida protetiva conferida à ex-companheira, bem como realizou investidas sexuais contra sua enteada, de apenas 13 anos de idade, contra quem teria praticado tentativa de estupro de vulnerável.

Após representação da autoridade policial, o Poder Judiciário expediu mandado de prisão que foi cumprido após diversas diligências efetuadas pela equipe de policiais civis da DP de Alto Paraíso. Após as comunicações de praxe, o preso foi recolhido na unidade prisional e encontra-se à disposição da Justiça. Ele será indiciado pelos referidos crimes. A operação foi batizada como 1989 em razão deste ser o ano em que a ONU promulgou a Declaração dos Direitos da Criança.