Operação Conteiner desmantela associação criminosa que aplicava golpe phishing

633

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da 8ª DDP, na Operação Conteiner, cumpriu quatro mandados de prisão preventiva e sete de busca e apreensão contra suspeitos que compõem uma associação criminosa para prática de golpes através do aplicativo Whatsapp (phishing). Dois dos suspeitos ainda seguem foragidos, porém seguem sendo procurados. Um deles encontra-se na Europa.

Após seis meses de investigação, iniciada com notícia-crime informando que sociedades empresárias de São Paulo e Rio de Janeiro haviam sido vítimas de obtenção de vantagem indevida mediante fraude, quando em junho, os aludidos suspeitos se passaram pelo dono da empresa e, fraudulentamente, se locupletaram em R$ 140 mil.

A partir de diversos cruzamentos de dados, diligências e outros elementos informativos, o Poder Judiciário decretou a prisão dos seis autores identificados da associação criminosa, bem como expediu as ordens de busca e apreensão para a residência dos suspeitos e de uma empresa de um deles.

Na data de ontem (16), com apoio do 1º DP, 4º DP, 23º DP e DPCA de Goiânia, deu-se cumprimento a quatro prisões preventivas, incluindo o líder do grupo, e a sete buscas e apreensões, vez que dois suspeitos se encontram foragidos. Nos citados cumprimentos, forma apreendidos diversos cartões bancários, máquinas de cartões, mais de uma dezena de aparelhos celulares, notebooks e uma Mercedes Benz. Ao todo, foram mais de R$ 130 mil em bens e valores apreendidos na operação. Após as medidas de praxe, os conduzidos foram colocados à disposição do Poder Judiciário.