Operação Falsas Intenções: PCGO cumpre buscas em gabinete de vereadora de Uruaçu suspeita de emissão de guias e de medicamentos fraudulentos

427

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia de Polícia (DP) de Uruaçu, deflagrou, na manhã desta quinta-feira (25), a Operação Falsas Intenções. A operação cumpriu dois mandados de busca e apreensão, um na Câmara de Vereadores da cidade de Uruaçu, no gabinete de uma vereadora investigada, e outro em sua residência. São investigados nesta operação uma vereadora do município e dois médicos. A investigação apura a suspeita de emissão de guias médicas e fornecimento de medicamentos controlados de forma fraudulenta.

Na investigação, foi apurado que a vereadora, com auxílio de médicos não credenciados na rede do SUS, teriam emitido guias médicas para pessoas que, na maioria das vezes, sequer eram realmente atendidas, chegando ao ponto de indicar um problema na próstata para uma paciente do sexo feminino. Em um documento que subsidiou a investigação, encaminhado pelo Ministério Público e pela Secretaria Municipal de Saúde de Uruaçu, consta o encaminhamento para tratamento de hipertrofia prostática para esta mulher. A Polícia Civil também apura o fornecimento de medicamentos, na época das eleições municipais de 2020, para diversas pessoas, sem receita e prescrição médicas, pela vereadora. Isso teria ocorrido nas vésperas das eleições do ano passado, o que indica possível crime de compra de votos (captação de sufrágio). A vereadora investigada foi reeleita no pleito eleitoral de 2020.

Durante as buscas, a Polícia Civil apreendeu, na casa da vereadora, diversos medicamentos, inclusive de uso controlado (tarja preta), e alguns de amostra grátis, além de computadores, celulares, guias de atendimento e encaminhamento do SUS.

Os investigados respondem, no inquérito policial, pelos crimes de falsidade ideológica, associação criminosa e por fornecimento ilegal de medicamentos. A Operação Falsas Intenções mobilizou 20 policiais civis e teve o apoio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) e da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Uruaçu, Grupo de Repressão a Narcóticos (Genarc) de Niquelândia e Delegacia de Polícia (DP) de Mara Rosa.