Operação Lei e Ordem: Polícia Civil prende investigados por tentativas de homicídio e organização criminosa; uma das vítimas é adolescente de 13 anos

954

A Polícia Civil, através da 22ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Goiânia – com apoio operacional da 1ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Goiânia e da Força Nacional de Polícia Judiciária – deflagrou, na manhã de hoje (18), a Operação Lei e Ordem. A operação busca cumprir 3 mandados de prisão temporária e 3 mandados de busca e apreensão. São investigadas quatro pessoas por dupla tentativa de homicídio e também por organização criminosa. Até o momento, dois já foram presos e um está foragido, mas segue sendo procurado pelos policiais civis.

A investigação policial começou após a ocorrência dos fatos, no dia 14 de novembro deste ano, por volta das 20h08min, na Avenida do Povo, próximo à praça pública, Vila Multirão I, Goiânia. Na ocasião, três indivíduos que estavam em um VW GOL, cor branca, efetuaram vários disparos de arma de fogo visando atingir um jovem de 20 anos de idade, alvejando-a na mão e antebraço. Entretanto, os disparos também atingiram uma adolescente de 13 anos, no tórax. A menina estava em um pit dog com seus familiares quando foi atingida pelos tiros. Ambas as vítimas foram socorridas e hospitalizadas no HUGOL, porém, em estado mais grave, a adolescente permanece hospitalizada até hoje.

A investigação apurou que o crime foi praticado em retaliação à morte de um homem também vítima de homicídio ocorrido na Vila Multirão, no dia 09 de novembro deste ano. Este homem era integrante de uma facção criminosa liderada por um dos investigados no inquérito. O referido investigado está preso na Penitenciária Odenir Guimarães (POG), de onde determinou que os três suspeitos praticassem o homicídio contra a vítima do dia 14. Ele também ordenou que os investigados praticassem outros homicídios e tentativas na região noroeste da capital. A mulher do referido preso mandante dos delitos também é investigada como partícipe dos crimes, além de ser integrante da facção criminosa.

A 22ª DDP apurou que o responsável pelos disparos que alvejaram o jovem de 20 anos e a adolescente de 13 anos foi Rafael de Moura Menezes, 20 anos, morto em um confronto policial no dia 22 de novembro deste ano. Por esta razão, o líder da organização criminosa chegou a fazer uma homenagem póstuma a Rafael. Os policiais civis descobriram ainda que o veículo VW/GOL branco usado no dia do crime foi flagrado tanto por uma câmera de vigilância quanto por um radar próximo ao local do crime. O carro foi apreendido por policiais militares do 42º BPM no dia 20 de novembro deste ano.