Operação prende grupo que recebia para cometer homicídios em Alto Paraíso

214

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia de Polícia de Alto Paraíso, com apoio da 1º Delegacia de Polícia de Formosa, cumpriu, no dia 4 de novembro, quatro mandados de prisão preventiva e dois mandados de busca e apreensão em desfavor de investigados por homicídio triplamente qualificado.

Trata-se da segunda fase da operação Nêmesis, a qual investiga uma cadeia de homicídios provocada por disputas de terras. Segundo a delegada Bárbara Butini, os crime passavam por três fases. “Primeiramente, o mandante de todos os homicídios contratava um terceiro, para que este contratasse executores para matar a vítima”, explicou ela. Na sequência, outra pessoa era contratada para executar os envolvidos no homicídio anterior.

Nesta segunda fase, a Polícia Civil prendeu os executores do segundo homicídio, os quais teriam recebido cerca de R$ 80 mil em terras para matar o executor do primeiro homicídio, como queima de arquivo. “Assim, o mandante pretendia eliminar qualquer rastro probatório que pudesse vinculá-lo aos crimes”, acrescenta a delegada.

Além disso, a esposa do mandante dos dois homicídios, preso na primeira fase da operação, também foi presa, uma vez que ela era responsável pelo pagamento dos crimes cometidos, atuando como cúmplice.

Com as prisões, a Polícia Civil termina as investigações sobre uma cadeia de homicídios, a qual envolve oito pessoas.