Operação Res Furtiva desarticula associação criminosa de roubo de gado; 10 foram presos

841

A Delegacia de Polícia (DP) de Goiatuba, após tomar conhecimento da ocorrência do crime de roubo ocorrido em uma propriedade rural no dia 26 de fevereiro, deflagrou a Operação Res Furtiva, que culminou na identificação de 11 integrantes da empreitada criminosa. A investigação contou com o apoio da Delegacia de Pontalina.

O crime ocorreu em uma fazenda, no município de Goiatuba, local em que as vítimas foram rendidas por cinco autores armados e permaneceram em poder deles, com a liberdade restrita, por cerca de 12 horas, tempo que o grupo utilizou para fechar, separar e embarcar o gado. Os autores subtraíram cerca de 50 cabeças de gado e dois veículos.

Durante as investigações, foram identificados os dois motoristas e uma terceira pessoa que os acompanhava, bem como os caminhões responsáveis por transportar o gado roubado, sendo comprovado que eles tinham plena consciência da prática do roubo e realizaram importante conduta para a completa execução do crime.

A investigação também identificou o produtor rural que adquiriu o gado roubado pelo grupo e conseguiu recuperar 36 cabeças de gado de propriedade da vítima e que foram subtraídas durante o roubo. Os animais se encontravam na fazenda do referido produtor.

A operação identificou todos os envolvidos no crime, bem como suas funções no grupo, iniciando pelas duas chefias da Associação Criminosa, exercidas por Roginelio Lima dos Santos (34 anos), o qual foi o principal responsável pelo planejamento do crime, transporte e destino final dos animais roubados e posterior comercialização, e Wallex Dennys Silva Mariano (26 anos), que em parceria com Roginelio, encabeçou a organização e foi encarregado de planejar e executar os roubos, incluindo a seleção dos comparsas e obtenção de armas de fogo para as ações.

Os agentes que executaram o roubo renderam as vítimas e permaneceram com elas em seu poder, separaram e embarcaram o gado. São eles: João Victor Sousa e Silva (21 anos), Lucas Cândido de Abreu (25 anos), Luís Carlos Silva Fernandes (25 anos), Wallex Dennys Silva Mariano (26 anos) e Wellington Alves de Oliveira Junior (23 anos).

Os dois motoristas dos caminhões que realizaram o transporte do gado da fazenda da vítima até a cidade de Hidrolândia foram identificados como: Izaías Cassimiro do Carmo (30 anos) e Rharisson Rezende Nery (26 anos), sendo que a companheira deste teve participação, e foi identificada como Sandra de Oliveira (33 anos).

O responsável por disponibilizar o local para esconder o gado roubado, na cidade de Hidrolândia, foi Eduardo Fernandes de Oliveira, 37 anos. Apesar do curto espaço de tempo, o gado permaneceu em sua fazenda para que fosse revendido no mercado com aparência de licitude. Eduardo confessou o abate de quatro vacas, as quais também eram de propriedade da vítima, sendo a carne vendida no açougue dele.

Por fim, a Polícia Civil também identificou Cleriston Santos Silva, de 26 anos, que foi o responsável por apresentar Roginelio e Wallex a Eduardo (dono do açougue) e ficou responsável pelo pagamento dos executores do roubo e dos caminhoneiros após a venda do gado.

A Polícia Civil destaca que, dos 11 integrantes da associação criminosa e responsáveis pela prática deste grave crime de roubo, 10 foram presos, após representação pela prisão preventiva. Os investigados se encontram na unidade prisional de Goiatuba. Apenas Lucas Cândido de Abreu encontra-se foragido e continua sendo procurado pela polícia.

Delegado responsável: Patrick Carniel