Operação Veneziano: PCGO cumpre prisão e buscas em fraude milionária contra cooperativa agroindustrial

194

A Polícia Civil, por meio das Delegacias de Polícia (DP) de São Luís de Montes Belos e Firminópolis, deflagrou, na manhã de hoje (28), a Operação Veneziano para cumprir medidas cautelares criminais representadas pela PCGO ao Juízo da Comarca de Turvânia. A operação é resultado de investigação dos crimes de furto mediante fraude, associação criminosa, falsidade ideológica. A vítima é a Cooperativa Mista Agroindustrial de Palminópolis (COOMAP) e a autora seria a gerente de uma agência bancária desta cidade, sendo também apurado nesta fase a participação de outros envolvidos ligados ao desvio.

A Polícia Civil investiga o fato de que a gerente da instituição financeira teria desviado o valor aproximado de R$ 2 milhões e 700 mil da Cooperativa Mista Agroindustrial de Palminópolis (COOMAP). A Operação Veneziano cumpriu um mandado de prisão temporária – contra a gerente bancária, presa em Palminópolis – e cinco mandados de busca e apreensão. Destes, quatro foram cumpridos em Palminópolis e um em São João da Paraúna. Durante a buscas, na casa da suspeita, foram apreendidos cerca de R$ 2 milhões em cheques e dinheiro.

A operação foi batizada com este nome em razão de veneziano ser um sistema padrão usado em empresas  e organizações para registrar transações financeiras. A ideia do método desenvolveu-se quando se criou a conta Capital/Caixa (em dialeto vêneto, cavedal) com a primeira transação financeira da entidade, qual seja, a colocação de dinheiro nas contas da mesma pelos sócios. Desde então, este método tem sido usado para verificar se cada transação financeira, registrada na forma de uma entrada, tem uma saída igualmente correspondente.