PC indicia 9 por homicídio culposo após faltar bateria em aparelhos da UTI-Covid em hospital de Uruaçu

141

A Polícia Civil de Goiás, por meio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Uruaçu, concluiu, na data de hoje (14), a investigação acerca das mortes ocorridas em 12 de junho deste ano, na UTI-Covid do Hospital Regional do Centro Norte Goiano por suposta falta de energia elétrica. Foi apurado que não houve desabastecimento externo de energia elétrica, porém uma falha na rede interna, ocorrida por volta das 04h15 da madrugada, desativou um dos disjuntores que alimentavam os ventiladores mecânicos (respiradores) da UTI, fazendo com que eles passassem a funcionar no “modo bateria” até o amanhecer.

Ocorre que os aparelhos funcionaram com suporte nas baterias de dotação por quase três horas, quando então acabou a carga das baterias e os pacientes ficaram sem oferta de oxigênio, o que causou o óbito dos pacientes antes do restabelecimento da rede elétrica. A prova pericial demonstrou que duas das quatro mortes ocorridas naquela data têm relação direta com a inoperância dos ventiladores, bem como que estes funcionaram de acordo com as especificações técnicas.

Nove pessoas da equipe médica foram indiciadas por homicídio culposo e um profissional da área de manutenção foi indiciado por falso testemunho.O inquérito policial foi encaminhado pela autoridade policial ao Poder Judiciário.