PC recupera cerca de 50 mil em dinheiro e produtos desviados de empresa em Goiânia

550

Na manhã da última terça-feira (17/07), o proprietário de uma renomada construtora em Goiânia comunicou, por meio de registro de atendimento integrado, que uma de suas funcionárias estava utilizando dinheiro da referida empresa para efetuar pagamentos de compras em benefício próprio. Na oportunidade, o mencionado representante estimou o prejuízo da empresa em R$ 60 mil. De imediato, o delegado Eli José de Oliveira designou uma equipe de policiais para investigar o caso, a qual imediatamente se dirigiu até o local em que algumas mercadorias seriam entregues e identificaram que se tratava da residência de Patrícia Alves Rosa.

Ao ser entrevistada pelos agentes, Patrícia admitiu que era funcionária da construtora e, havia algum tempo, adquiria produtos, via internet, e encaminhava os boletos das compras para o departamento responsável da empresa efetuar o pagamento. Além disso, a mulher confirmou que, por algumas vezes, solicitou ao mesmo departamento que fizesse transferências bancárias para contas que indicou, sacando, posteriormente, os valores.

Durante as diligências, a equipe policial conseguiu recuperar, na residência de Patrícia, a quantia de R$ 38.750,00 (trinta e oito mil setecentos e cinquenta reais), em espécie, a qual estava dentro de uma caixa de sapato e é oriunda das transações bancárias mencionadas, bem como R$ 14.764,40 (quatorze mil setecentos e sessenta e quatro reais e quarenta centavos) em pisos, que a funcionária havia adquirido em nome da construtora. Os valores e os pisos foram apreendidos e entregues ao proprietário da construtora.

Após a oitiva de Patrícia, o delegado Eli estimou que o prejuízo total da vítima é de pouco mais de R$ 100 mil. A mulher foi liberada após o interrogatório, mas deverá ser indiciada por estelionato. “O crime já estava consumado e não havia situação flagrancial, então ela não ficou presa. Agora as investigações persistem no sentido de recuperar e restituir à construtora as demais mercadorias adquiridas por Patrícia e que ainda não foram entregues a ela”, informou. Participaram das diligências os agentes de polícia Elvis Machado, Giovani Gurgel e Wanderlan Rodrigues, bem como a escrivã de polícia Keicyane Oliveira.