PCGO e Vigilância Sanitária interditam centro de dependentes em Goiânia; vítimas relatam torturas

87

A equipe da 10ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Goiânia esteve, na tarde de hoje (21), em um centro terapêutico de reabilitação, no Jardim Guanabara, onde investiga uma série de crimes. O centro abriga cerca de 53 mulheres internas para tratamento de álcool e dependência química. A investigação começou após três mulheres fugirem do local. Uma delas machucou o calcanhar e procurou a Polícia Civil. Ela relatou que as internas são vítimas de maus-tratos, castigos, torturas.

A 10ª DDP foi até o local, na tarde de hoje (21), junto com a Vigilância Sanitária Municipal. A Vigilância já havia recebido denúncia do Ministério Público com relação ao centro. O local não tinha alvará de funcionamento, extintor de incêndio; dos três banheiros, apenas um estava em funcionamento. Segundo as internas, ninguém recebeu a vacina da Covid-19 e Os administradores do local teriam cobrado R$ 150 para aquelas que quisessem se vacinar. O local também não oferecia álcool em gel nem máscaras para as internas. Devido às várias irregularidades, a Vigilância Sanitária interditou o centro e deu 72h para que os administradores encaminhem as internas para a família ou abrigo. A Polícia Civil apreendeu documentos e instruirá inquérito policial com vistas a apurar os fatos.