PCGO prende suspeitos de extorquir vítima para não divulgar suas fotos íntimas, em Iporá

166

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Delegacia de Polícia (DP) de Iporá, prendeu em flagrante nessa quarta-feira (10) dois homens pelo crime de extorsão. Os policiais civis foram acionados ontem por um homem de 54 anos que se disse vítima de um indivíduo que estava exigindo a transferência de quase R$ 3 mil para que não tivesse fotografias íntimas publicadas. A vítima informou que dias atrás já teria realizado a transferência de R$ 1 mil e o golpista continuava a exigir mais dinheiro. Após isso, a vítima bloqueou o número do golpista e não fez mais contato.

A equipe policial empreendeu diversas diligências, com base nas informações prestadas pela vítima, com a finalidade de identificar e efetuar a prisão do autor do crime. Este suspeito, um homem de 26 anos, foi identificado e preso em flagrante, no bairro do Sossego, em Iporá. Ele confessou a prática do crime e revelou que o mandante da empreitada seria o enteado da própria vítima.

De acordo com o preso, o segundo autor – enteado, um homem de 38 anos – aproveitou que o padrasto havia caído no golpe e, como não tinha mais contato com os golpistas, planejou e o convidou para continuarem o golpe iniciado por outros criminosos, passando assim a exigir da vítima a transferência de R$ 2 mil reais. No decorrer da extorsão, o enteado repassava todas as informações relativas à rotina e vida pessoal da vítima, como forma de constrangimento e pressão psicológica, de modo a persuadir a vítima a realizar o pagamento da quantia exigida o mais rápido possível, o que somente não ocorreu em virtude da rápida ação dos policiais civis, que interromperam a prática delitiva.

Ato contínuo, as equipes saíram em diligências e conseguiram localizar e prender também em flagrante o segundo autor do crime, mandante e enteado da própria vítima. Ele foi preso no mesmo bairro. Em interrogatório, informou que o padrasto lhe devia R$ 2 mil e que planejou as extorsões na tentativa de receber os valores da dívida. O telefone usado para aplicar o golpe foi apreendido. Agora presos, ambos responderão pelo crime de extorsão majorada na forma tentada. A investigação contou com o apoio da equipe do Grupo de Repressão a Narcóticos (Genarc) de Iporá.