PCGO prende três suspeitos de aplicar golpe na suposta venda de carga de cobre em Rio Verde

504

A Polícia Civil, através do Grupo de Repressão a Crimes Patrimoniais (Gepatri) de Rio Verde, prendeu em flagrante delito, na última terça-feira (26/7), três indivíduos por associação criminosa e tentativa de estelionato, ambos os crimes ocorridos em Rio Verde, sudoeste goiano. A informação inicial apontava que três criminosos tentaram vender suposta carga de cobre no valor de R$ 85 mil para uma vítima da cidade. O fato chegou ao conhecimento dos policiais civis da delegacia especializada, que de imediato identificaram o veículo Toyota Corolla e as mesmas características físicas dos indivíduos responsáveis pela aplicação de golpe semelhante ocorrido no dia 07 de julho deste ano, também na cidade de Rio Verde, fato consumado que gerou um prejuízo de R$ 120 mil para outra vítima.

Diante das informações preliminares e dos dados obtidos em investigação anterior, a equipe de policiais montou uma barreira com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no posto policial da cidade de Guapó, ação que culminou na prisão em flagrante delito e identificação dos três indivíduos como atuantes em pelo menos dois crimes de estelionato ocorridos em Rio Verde.

A ação dos estelionatários consistia em abordar comerciantes de Rio Verde em redes sociais com propostas de vendas de sobras de supostas obras públicas e licitações. A fim de transparecer legitimidade, os estelionatários se passavam por funcionários públicos, bem como marcavam encontros na sede da própria Prefeitura de Rio Verde, sempre com propostas de supostas parcerias comerciais vantajosas advindas de fantasiosos “editais de gaveta”. Em contrapartida, os investigados exigiam pagamentos em dinheiro em espécie. Um dos investigados chegou a confessar que todos atuam ordinariamente com golpes da mesma natureza. Conforme dito por eles, “a cada dez tentativas, uma dá certo”, ou seja, uma vítima cai no golpe dos estelionatários.

Os três presos na ação possuem passagem por estelionato. Um deles, inclusive, tem mandado de prisão expedido pela Justiça do Rio Grande do Norte pela prática do mesmo delito. Ademais, todos são investigados por outros dois crimes de estelionato com “modus operandi” semelhantes, também ocorridos na cidade de Rio Verde, em anos anteriores.

Com a divulgação dos nomes e fotografias dos investigados, novos fatos e vítimas serão identificados, não somente no município de Rio Verde, mas em outras cidades e estados da federação, o que ensejou a divulgação destes dados dos suspeitos, conforme despacho da autoridade policial responsável pelo inquérito, em consonância com a Lei nº 13.869/2019 e Portaria normativa nº 547/2021-DGPC.