Polícia Civil conclui caso de professor morto em Formosa

760

A Polícia Civil concluiu o inquérito referente à morte do professor Fabiano Rabelo Mendonça, de 35 anos, cujo corpo foi encontrado com marcas de perfurações no dia 6 de dezembro do ano passado, numa estrada vicinal de Formosa, no Entorno do Distrito Federal. De acordo com as investigações, um adulto e um adolescente de 17 anos foram os autores do crime. Conforme exames periciais, a dupla torturou Fabiano até a morte.

Segundo o delegado Danilo Meneses, responsável pelas investigações, Fabiano, conhecido por seu ativismo em Goiás na área da educação, teve “sua vida brutalmente ceifada” e foi torturado em vida, apresentando ao menos 15 ferimentos provocadas por faca, “sem nenhuma letalidade potencial”.  “Provavelmente, os autores utilizaram tal mecanismo para infligir sofrimento à ele de forma a obter alguma informação valiosa, como a senha de cartão de crédito”, explica o delegado.

As apurações das circunstâncias do crime tiveram início imediatamente após o corpo de Fabiano ser encontrado. Segundo Meneses, após troca de informações com a Polícia Militar, a Polícia Civil, por meio do Grupo de Investigações de Homicídios (Gih), identificaram os autores do crime no dia 14 de dezembro.

No dia 16 do mesmo mês, a corporação representou pela prisão preventiva de um dos suspeitos e internação provisória do adolescente envolvido. As capturas ocorreram dois dias depois, em 18 de dezembro. O adulto já tinha passagem por uma tentativa de homicídio. O menor, por sua vez, responde por outro ato infracional análogo a homicídio.