Polícia Civil conclui inquérito sobre morte que vitimou a jovem Larissa, em Formosa

1021

A Polícia Civil, por meio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Formosa, concluiu inquérito policial sobre a morte de uma jovem professora. Larissa Quintino de Souza, 30 anos, estava dentro da residência quando foi vítima de um disparo de arma de fogo no crânio, vindo à óbito em função dos ferimentos provocados. O fato ocorreu no dia 02 de novembro de 2020, na Rua Olímpio de Melo Spíndola, Setor Ferroviário, em Formosa.

A equipe do SAMU foi acionada e prontamente compareceu ao local, vindo a constatar o óbito ao chegar lá. Posteriormente a Polícia Militar foi acionada e também compareceu ao local. O suspeito – noivo da vítima – foi conduzido pelos policiais militares até a Central de Flagrantes de Formosa. Fundamentado em relatório elaborado pela equipe de plantão do Grupo de Investigação de Homicídios de Formosa, na ocasião, foi feito seu auto de prisão em flagrante pela prática do crime de feminicídio (homicídio qualificado).

Na unidade policial, o suspeito afirmou que Larissa Quintino teria cometido suicídio com um disparo na cabeça. Em função disso, os autos foram encaminhados ao Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Formosa para que fosse dado andamento às investigações e realizado o diagnóstico diferencial entre homicídio e suicídio.

O Grupo de Investigação de Homicídios então passou a fazer uma minuciosa análise circunstanciada com o objetivo de reconstruir os fatos da exata forma em que se deram. O trabalho técnico em parceria com a Polícia Científica foi essencial para levantar elementos informativos capazes de comprovar se a jovem professora havia sido vítima do crime de feminicídio.

Ainda restou esclarecido que possivelmente partes da cena foram montadas com o fim de simular um autoextermínio por parte de Larissa. O GIH, após intenso trabalho investigativo, conseguiu esclarecer as circunstâncias do crime. O inquérito policial já foi concluído e será encaminhado ao Poder Judiciário para que o Ministério Público promova a devida responsabilização penal do autor pelo crime. O autor foi preso em flagrante.

O trabalho do GIH contou com o apoio dos plantonistas da unidade, CPE/Formosa, Polícia Técnico-Científica de Formosa e ao SAMU/Formosa, que assim permitiu o rápido esclarecimento do feito.