Polícia Civil cumpre prisão cautelar de um homem suspeito de possível homicídio em Formosa; vítima estava desaparecida

143
Vítima

Na tarde do dia 28 do mês de outubro deste ano, o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Formosa cumpriu mandado de prisão temporária expedido pela 2ª Vara Criminal da comarca de Formosa em desfavor do suspeito pelo desaparecimento de Natália Nunes de Moura. A jovem, de 26 anos de idade, foi vista pela última vez em Formosa, no dia 1º do mês de outubro último. Ela saiu da cidade a convite de um homem e se dirigiu até a zona rural, depois do Distrito de Santa Rosa, nas proximidades do Projeto de Assentamento Catalão.

Ela foi vista descendo na parada de ônibus já nas proximidades do assentamento. O suspeito, que mora perto do local e mantinha contato frequente com a jovem, foi visto com ela e depois disso, a jovem desapareceu.

O Grupo de Investigação de Homicídios investiga detalhes do ocorrido. A prisão temporária e o mandado de busca e apreensão foram cumpridos na Fazenda Camargo, local de trabalho do suspeito. Compareceu ao local equipe de peritos da Polícia Técnico-Científica para aplicação de Bluestar como forma de encontrar eventual resquício de sangue.

Pouco depois, no dia 30 de outubro, após insistentes buscas na zona rural, os policiais civis conseguiram encontrar fragmentos de corpo humano que supostamente podem ser da jovem desaparecida. Nas proximidades do local, ainda foi encontrado um pequeno laço – típico de roupa íntima feminina. A prisão preventiva do autor já foi decretada pelo Poder Judiciário. Suspeita-se que o autor teria separado o corpo da vítima em vários pedaços.

A Polícia Civil agora aguarda o resultado do exame genético nos fragmentos encontrados para confirmação da identidade da suposta vítima. O suspeito segue preso preventivamente à disposição do Poder Judiciário.

As buscas contaram com o apoio dos peritos. O inquérito contou com o auxílio da 2ª Delegacia Distrital de Polícia de Formosa, responsável por grande parte das diligências realizadas.