Polícia Civil de Trindade prende funcionários que lesavam posto de combustível

1618

A equipe da delegacia de Trindade providenciou diligência, nessa quinta-feira (07/12,) no sentido de aguardar o horário apontado como de costume para a prática do delito que estava acontecendo no posto de combustível Zema e verificar a procedência de uma denúncia.

Segundo o proprietário do posto, 02 funcionários, um chamado Diego Oliveira Rodrigues e Gustavo Nunes de Morais, estavam lesando o posto há pelo menos 03 meses, da seguinte forma: o cliente paga a conta com cartão de débito e mais tarde os autores estornam os valores e em seguida sacam no caixa da empresa. Um exemplo seria movimentações da conta Rede Card do dia 03/12, as quais tiveram 06 débitos estornados. Débitos de 12h26, 13h51, 15h54, 14h10, 18;25, 20h32 foram estornados respectivamente às 20h53, 20h54, 20h54, 20h55, 20h56 e 20h57, sendo que os 03 primeiros estornos foram feitos por Gustavo e os outros 03 por Diego. Os caixas de cada funcionário são individualizados, podendo-se identificar as movimentações de vendas e estornos de cada um.

Apurando os prejuízos, que no período de 3 meses anteriores o estabelecimento já havia sido lesado em pelo menos R$ 50.000,00. Assim, ontem, no horário das 21 horas, buscou-se verificar a ocorrência da fraude apontada, ficando a equipe a postos para conferir o fechamento do caixa, juntamente com uma equipe de gerentes do grupo de postos da Rede Kurujão.

 Após ter sido constatada a efetuação de 7 estornos indevidos, no total de dois mil e vinte e um reais do caixa do posto de combustível Zema, os empregados foram conduzidos e confrontados, confidenciando a prática do crime e apontando a localização de parte do dinheiro e dos cartões bancários utilizados. Não informando outros coautores ou partícipes do crime.

Os envolvidos relataram que cada um deles tinha seus próprios cartões bancários e o proveito do crime era de acordo com o que cada um realizava de fraude com o respectivo cartão. Em seguida à voz de prisão, os autuados foram trazidos para a delegacia de Trindade, onde tiveram acesso ao telefone e, após, para a realização do exame de corpo de delito ad cautelam.