Polícia Civil efetua primeira prisão por homofobia em GO após criminalização pelo STF

295

A Polícia Civil de Goiás efetuou, na manhã desta quarta-feira, a prisão de dois estudantes suspeitos de praticarem homofobia, enquadrada no rol de crimes de injúria racial após recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Caio César Rodrigues Sampaio e Lucas Vilela Martins, ambos com 20 anos e estudantes de Educação Física, são os primeiros presos por esse tipo de infração penal em Goiás. O crime aconteceu no último dia 6 de julho, no Setor Bueno, em Goiânia. Imagens de câmeras de segurança mostraram quando os autores correm atrás e batem em rapaz de 24 anos. A vítima procurou a polícia alegando ter sido xingado por conta de sua orientação sexual.

Segundo o delegado que investiga o caso, Carlos Caetano, um dos autores presos disse ter sido provocado pela vítima e por isso a agrediu com socos. O segundo nega qualquer agressão ao jovem. Ambos negaram que tudo ocorreu por homofobia. A vítima, no entanto, contou que foi xingada por três rapazes, sendo que dois correram atrás dela na rua. Durante as agressões, a vítima teria sido xingada de “viado”, “bicha” e outros termos pejorativos. De acordo com a Polícia Civil, o caso foi inicialmente tratado como injúria e lesão corporal, sendo modificado posteriormente para se enquadrar na Lei de Racismo.

Conforme explica o delegado, os suspeitos foram presos após terem a foto divulgada. “Nós tivemos acesso às imagens de segurança que estavam bem nítidas. Os policiais saíram em diligência e falaram com diversas pessoas na região. Também divulgamos as fotos em grupos de WhatsApp e tivemos retorno de testemunhas”, disse. Depois de localizar a residência dos homens, o delegado solicitou a prisão à Justiça. “O judiciário deferiu o pedido rapidamente e na madrugada desta quarta-feira efetuamos a prisão dos envolvidos nos setores Oeste e Bueno”, informou.  Três equipes ainda trabalham para tentar localizar o terceiro envolvido no crime.